(OCDS) 10. Como define o Carmelo?

(IRMÃ) Cada Carmelo Teresiano é um castelo de amigos fortes de Deus. Em que os laços de amizade se intensificam pela vida orante e fraterna em comunidade.

«Aqui todas hão-de ser amigas, todas se hão-de amar, todas se hão-de querer, todas se hão-de ajudar».

A oração, a fraternidade, a alegria, o silêncio, a solidão, o trabalho, a recriação, o descanso, tudo faz parte do ambiente e do espaço contemplativo do convento. Nada fica de fora!

(OCDS) 11. Irmã, como se organiza a vossa rotina diária?

(IRMÃ) O dia começa às 6h15 com as Laudes, seguindo-se depois o tempo de oração silenciosa, do terço e da Eucaristia. Por volta das 9h30 cada carmelita dirige-se ao seu trabalho, onde unida a Cristo e a Maria se entrega aos seus afazeres, por todos os irmãos. Às 12h00 a Comunidade reúne-se ao redor do Senhor escondido no Sacrário para cantar os seus louvores e agradecer tudo o que foi a sua manhã de generosa entrega e tudo o que recebeu do Senhor. Segue-se o almoço e o tempo de alegre convívio fraterno, que no Carmelo se chama recreio. Às 14h00 voltamos ao nosso silêncio e recolhimento para nos encontrarmos de novo às 15h00 para rezar a hora litúrgica de Noa. Depois desta e até às 16h00 temos leitura espiritual. O regresso ao trabalho acontece depois das 16h00 até às 17h30. O cair da tarde congrega-nos para a oração de Vésperas seguida da oração pessoal. Às 19h00 dirigimo-nos para o refeitório, onde jantamos, para depois nos encontrarmos na sala de recreio para o alegre convívio. Às 20h35 a sineta toca para nos lembrar que terminou o recreio e nos chamar à oração litúrgica do Ofício de leitura. Das 21h00 às 22h00 temos um tempo forte de silêncio, em que cada uma se recolhe na sua cela para estar a sós com Aquele que sabe que a ama. O dia termina com a oração de Completas às 22h00 e às 23h00 apagam-se as luzes para o merecido descanso.

(OCDS) 12. Irmã, percebe-se das suas palavras, uma alegria muito grande, mas parece que o dia está demasiado balizado. Se me permite, a pergunta, não sentem monotonia?

(IRMÃ) Não existe monotonia, nem dias iguais, porque tudo é feito pelos outros e para outros por amor e com amor e a entrega por amor faz novas todas as coisas. O facto de ter sempre o mesmo ritmo permite-nos escavar uma interioridade cada vez maior e fixar os olhos na meta sem dispersões. Também nos ensina a viver cada momento com a maior intensidade possível. Por isso quer seja festa com música e teatro  ou oração com Vésperas cantadas tudo está em função da realização plena da nossa vocação, para sermos verdadeiramente felizes e contagirmos a alegria de experimentarmos que só Deus Basta! 

O Carmelo, com a clausura, o silêncio e a solidão, é o lugar onde Deus se vem recrear para falar com os seus amigos, no face a face da fé. É a experiência do Profeta Elias no monte Horeb: «Vive o Senhor em cuja presença estou». Estar na presença de Deus, em momentos de silêncio e solidão e em momentos de comunhão e oração, de celebração da fé e da fraternidade, de intercessão e de súplica, em momentos de alegria e partilha. Estar na presença de Deus em família, porque a Comunidade é uma pequena família reunida à volta de Cristo.