Pensa em mim no domingo à tarde, será muito simpática. Irei ao meu serão, o meu corpo estará lá, mas é só isso porque o meu coração, quem o poderá distrair d’Aquele que amo e, repara, creio que Ele estará contente por me ver lá. Pede-Lhe que esteja de tal modo em mim que O sintam ao aproximarem-se da sua pobre e pequena noiva e que pensem n’Ele!… Somos as suas hóstias vivas, os seus pequenos cibórios. Ah! Que tudo em nós O reflicta, dêmo-l’O às almas.

Dez dias depois fiquei mal de uma perna: tive um pouco de derrame da sinovial num joelho. Fiquei privada de ir à igreja, da sagrada Comunhão, mas, reparai, Deus não tem necessidade do Sacramento para vir a mim. Parece-me que O tenho na mesma: é tão boa esta presença de Deus! É lá bem no fundo desta presença da minha alma, que gosto de O encontrar visto que Ele nunca me deixa. “Deus em mim, eu n’Ele “, oh, é a minha vida!… Nunca O podemos abandonar, nem nunca nos deixar distrair d’Ele! Oh, rezai-Lhe para que eu me deixe tomar e conduzir inteiramente!… Nunca vos disse o meu nome no Carmelo: “Maria Isabel da Trindade”. Parece-me que este nome indica uma vocação particular, não é belo? Amo tanto este mistério da Santíssima Trindade, é um abismo em que me perco!…

Ele está comigo, e com Ele podemos tudo. Como é bom perder-se, desaparecer n’Ele, sentimos bem que não somos senão uma máquina, que é Ele que age, que é Tudo! Assim entrego-me, abandono-me a este divino Bem-Amado, estou muito tranquila, sei a Quem me confio. Ele é Todo-poderoso, que faça tudo segundo o seu belo prazer, não quero senão o que Ele quer, não desejo senão o que Ele deseja, só Lhe peço uma coisa: amá-l’O com toda a minha alma, mas com um amor verdadeiro, forte e generoso! Nestes tempos estamos muito ocupadas por uma quantidade de coisas, além disso recomeçam as reuniões… Sabe o pouco que gosto disso, enfim ofereço-o a Deus. Parece-me que nada pode distrair d’Ele, quando agimos só por Ele, sempre na Sua santa presença, sob esse divino olhar que penetra no mais íntimo da alma. Mesmo no meio do mundo podemos escutá-l’O no silêncio de um coração que não quer ser senão para Ele!

Isabel da Trindade