«Nosso Senhor disse-me que vivesse com Ele numa comunhão perpétua, porque me amava muito. Eu respondi-lhe que se Ele queria, podia-o fazer pois era todo-poderoso. Fez-me compreender o amor que o fazia sair de Si mesmo para me procurar».

«Ele está cheio de amor por ti. Deseja estar contigo, pois ama-te com predilecção e escolheu-te para viver unido a ti.» «Esse Deus que me procura apesar da minha pequenez e de eu ser uma pecadora.»

«Na sua grandeza não se esquece das suas criaturas e sempre age com muito amor e solicitude paterna. Ainda mais, sendo Deus Espírito perfeitíssimo, assumiu a forma humana e não se contentando com isso assumiu a forma de pão. Vê que se rebaixou muito mais do que a condição humana porque assumiu a condição de coisa, de pão; porque encontrou as suas delícias em estar com os filhos dos homens.»

Teresa convida-nos a deixar-nos encontrar pelo Deus que está cheio de amor por nós, que nos ama com predilecção e por isso vem ao nosso encontro. Para ela a oração é esse encontro amoroso com Deus. Este encontro é um «estar a fazer companhia a Nosso Senhor», pois «estando só, estou com Deus».

E «que feliz me encontro a sós com Aquele que Vive». Esse encontro é um trato de amizade em que se conversa: «A minha oração consiste quase sempre numa conversa íntima com Nosso Senhor». «Uma conversa muito simples. Considero-o dentro da minha alma e ponho-me aos seus pés escutando-O.

Nesta conversa conhecemo-nos, amamo-nos e permanecemos unidos: «A oração é onde a alma aprende a conhecer a Jesus e amá-LO». Aprende a «unir-se a Deus». Algumas vezes simplesmente O olhamos, contemplando-O: «Olha-o com os olhos da tua alma». «Penetra no Seu coração: está cheio de amor por ti». Outras pensa-se n’Ele e em nós: «Pensa que Deus é o Ser Único e necessário».

Este encontro com Deus é um céu, apesar das suas dificuldades: «Pedacinho de céu, mesmo que as vezes não seja possível recolher-me na minha alma».

«Demos-lhe o nosso coração, a nossa liberdade e tudo o que temos.»

Oração:
«Santa Maria, Mãe de Deus,
Com o desejo de servir melhor
o Coração do Vosso Divino Filho,
de O amar como Vós o amastes,
reconheço-vos como minha Mãe, Rainha e Modelo:
consagro-vos tudo o que sou e tenho,
como prova do meu grande amor por Vós.

Abandono-me à vossa protecção maternal
Com o firme propósito de seguir em tudo
As vossas inspirações e os vossos exemplos.
Comprometo-me a viver uma vida
Autenticamente cristã,
Enraizada no Evangelho,
com o espírito de despreendimento
de pureza e docilidade.

Recebei-me, pois, ó Virgem Maria,
Como vossa filha e
Fazei-me viver como membro de Jesus Cristo
E escondida neste Amor do Coração divino.

Mãe de Deus
entrega-me tu ao Coração do teu Filho E forja em mim um coração como o d’Ele.»