Leio neste momento páginas muito belas do nosso bem-aventurado Padre S. João da Cruz sobre a transformação da alma nas três Pessoas divinas. A que abismo de glória somos chamados! Oh! Compreendo os silêncios, os recolhimentos dos santos que já não podiam sair da sua contemplação; assim Deus podia elevá-los aos cumes divinos em que o “Uno” se consuma entre Ele e a alma tornada esposa no sentido místico da palavra. O nosso Bem-aventurado Pai diz que, então, o Espírito Santo a eleva a uma altura tão admirável que a torna capaz de produzir em Deus a mesma aspiração de amor que o Pai produz com o Filho, e o Filho com o Pai, aspiração que mais não é que o Espírito Santo! Dizer que o Santo Deus nos chama, pela nossa vocação, a viver nestas santas claridades! Que mistério adorável de caridade! Quereria corresponder-lhe, passando na terra como a Santa Virgem, “guardando todas estas coisas no meu coração” (Lc 2,51), sepultando-me por assim dizer no fundo da minha alma para me perder na Trindade que aí mora, para nela me transformar. Então a minha divisa “o meu ideal luminoso”, como vós mo dizeis, estarão realizados, será bem Isabel da Trindade! Que o grande rio de vida (Ap 22,1) vos submerja e vos invada. Que do mais profundo da vossa alma sintais jorrar as fontes de água viva, enfim que Deus seja o vosso tudo. Este desejo que formastes para a minha alma, depu-lo nas mãos da Virgem Maria que foi tão plenamente a coisa de Deus, e é Ela que vo-lo dirá no segredo da vossa alma.

«Jesus e Maria amaram-se tanto: todo o coração de um se derramava no outro! Estou na boa escola, mamã querida! Ele ensina-me amar-te como Ele amou, Ele, o Deus todo Amor. Mas para fazer a vontade de seu Pai deixou esta mãe que amava infinitamente. Eu também foi por isso que te deixei, mas estou mais perto de ti, porque só tenho um coração, uma alma com a minha mãezinha!

Tenho tanta fome d’Ele. Ele cava abismo na minha alma, abismos que só Ele pode preencher e para isso conduz-me a profundos silêncios de que desejaria nunca mais sair. Lembrai-vos da vossa carmelita. Dizei a Deus que ela quer ser a vossa hóstia para que Ele permaneça sempre nela, e ela O possa dar.

Santa Isabel da Trindade