«Não sois este predestinado que o Eterno elegeu para ser seu sacerdote? E creio que na Sua actividade de amor, o Pai debruça-se sobre a vossa alma, e que a afeiçoa com a sua divina mão e com o seu toque delicado, para que a semelhança com o ideal divino vá sempre crescendo até ao grande dia em que a Igreja vos disser: “Tu és sacerdote para sempre”. Então, tudo em nós há-de ser, por assim dizer, uma cópia de Jesus Cristo, o Pontífice supremo, e haveis de poder reproduzi-l’O sem cessar perante o Pai e as almas. Que grandeza! É a “virtude culminante de Deus” (Ef 1,19) que se derrama no vosso ser para o transformar e divinizar. Quanto recolhimento, que amorosa atenção a Deus, reclama esta obra sublime! S. João da Cruz diz que a alma se deve manter no silêncio e na solidão absoluta, para que o Altíssimo possa realizar os seus desejos nela; Ele então leva-a, por assim dizer, como uma mãe que toma o seu filho nos braços e, encarregando-se Ele mesmo da sua orientação intima, reina nela pela abundância da tranquilidade e da paz que nela difunde”. Parece-me realmente que é a Virgem sacerdotal que o Padre deve invocar e sempre olhar. Que ela vos obtenha esta “ciência da luz de Deus derramada na face de Cristo” de que fala o Apóstolo. Vamos implorá-lo junto a ela no silêncio da oração. A Deus. Que Ele nos torne verdadeiros pela sua verdade, a fim de que desde já, daqui da terra, sejamos o “louvor da sua glória”.

Como me dizeis, há muito a expiar, muito a pedir, e creio que para atender a tantas necessidades, é preciso tornar-se “uma oração contínua” e amar muito. É tão grande o poder duma alma entregue ao amor. Madalena é um bom exemplo: basta-lhe uma palavra para obter a ressurreição de Lázaro. Temos necessidade que Deus opere ressurreições no nosso país; gosto de o pôr sob a efusão do Sangue divino. S. Paulo diz que “n’Ele temos a remissão dos pecados segundo as riquezas da sua graça que superabundou em nós” ; este pensamento faz-me tanto bem… Oh! Como é bom nas horas em que não se sente senão a nossa miséria, deixar-se salvar por Ele: estou tão cheia dela.

Rezai também por mim, consagrai-me com a sagrada Hóstia a fim de que não reste mais nada da pobre Isabel, mas que ela seja toda da Trindade: então a sua oração poderá tornar-se toda poderosa.

Santa Isabel da Trindade