Na oração nem todos têm gostos, que os dá Sua Majestade a quem quer e quando quer. Será bom que aqueles a quem o Senhor não dá coisas tão sobrenaturais não fiquem sem esperança, porque – com o favor de Nosso Senhor – todos podemos alcançar muito bem a verdadeira união se nos esforçarmos em procurá-la querendo cumprir em tudo a vontade de Deus.

Essa é a união que eu desejei toda a minha vida, a que sempre peço a Nosso Senhor e a que é mais clara e segura.

Isto do amor é tão importante que o devemos ir praticando toda a vida e não o deixar só para as ocasiões extraordinárias. O que quer o Senhor é que se vê uma enferma à qual pode dar algum alívio, não se importe de perder a sua devoção e se compadeça dela, e se é necessário, que eu jejue para que ela coma. Esta é a verdadeira união com a Sua vontade, e que se vejo louvar muito a outra pessoa me alegre mais que se me louvassem a mim.