No mês de Maio somos convidados a uma perspectiva Mariana da Ascensão e do Pentecostes. Não é difícil, para nós, reconhecer que a entrada de Deus na vida de Maria o primeiro que produziu foi a ‘Ascensão’. Maria subiu apressadamente à montanha para ir ajudar sua prima Isabel. E o segundo foi a consciência do Espírito Santo ter descido sobre ela e por isso ela será Mãe, Mãe do Filho de Deus. Em Maria a descida do Espírito Santo gera Vida Nova. E esta experiência da descida do Espírito sobre ela é o que lhe vai dar a fortaleza necessária para permanecer no Cenáculo em oração com os discípulos à espera do Espírito Santo.

Ascensão e o Pentecostes duas festas do Evangelho vivo que é a vida de Maria, duas festas que Deus quer que façam parte da vida de cada um de nós. Quando rezamos as Vésperas do Ofício Litúrgico da Ascensão há uma antífona que diz «Saí do Pai e vim ao mundo e agora deixo o mundo e volto para o Pai. Aleluia.» Esta antífona coloca-nos no centro da Festa e faz-nos ver a Ascensão com olhos novos. Então o que é a Ascensão? A ascensão é o retorno ao Amor do Pai. E como é que nós podemos viver a Ascensão? Saindo de nós e fixando os olhos e o coração no amor com que Jesus nos amou. E como é o amor com que Jesus nos amou e nos faz participar na Ascensão de Jesus? É o apóstolo Paulo que no-lo diz, no capítulo 13 da sua carta aos Coríntios:

«O amor é paciente,
o amor é prestável,
não é invejoso,
não é arrogante nem orgulhoso,
5nada faz de inconveniente,
não procura o seu próprio interesse,
não se irrita nem guarda ressentimento.
6Não se alegra com a injustiça,
mas rejubila com a verdade.
7Tudo desculpa, tudo crê,
tudo espera, tudo suporta.
8*O amor jamais passará.»

Isto significa que o amor é eterno, que nos faz viver em comunhão com Deus, que nos faz subir até Deus e permanecer nele. O Amor faz-nos entrar no coração de Deus e descobrir que somos capazes de amar com um amor gratuito como o de Deus. O Amor faz-nos experimentar que saímos de Deus, nosso Pai, e para Deus voltamos.

Não nos podemos acomodar com este mundo,nem com as suas coisas porque estamos chamados a viver a Ascensão do Amor. E é precisamente na Ascensão que Jesus nos diz: «Ide por todo o mundo e anunciai a todos que Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos».

E o que é este “Ide”? Em primeiro lugar este “Ide” é deixai-vos conduzir pelo Espírito Santo e não satisfareis os desejos da carne, mas do Espírito que em vós clama Abbá Pai. Depois é deixai que as vossas vidas sejam lugar onde o Espírito Santo desce para dar testemunho de Cristo, porque ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor senão pela acção do Espírito Santo. Então depois, cheios de fortaleza, de paz e alegria IDE! Ide dizer a todos que o Senhor venceu a morte e derrubou o muro das diferenças que nos separava, para fazer de todos nós um povo com um só coração e uma só alma, uma só família, a família dos filhos de Deus.

S. Paulo fala deste sermos família de Deus de forma muito bela, diz-nos ele: «Dobro os joelhos diante do Pai, de quem toma o nome toda a família no céu e na terra, para Lhe pedir que Ele conceda, segundo a riqueza da sua glória, que vós sejais fortalecidos em poder pelo seu espírito no homem interior, que Cristo habite pela fé em vossos corações e que sejais arraigados e fundados no amor. Assim tereis condições para compreender com todos os santos qual é a largura e o cumprimento, a altura e a profundidade e conhecer o amor de Cristo que excede todo o conhecimento para que sejais cheios com toda a plenitude de Deus».

Que Deus, nosso Pai, nos fortaleça para vivermos sempre no caminho da Ascensão e nos afeiçoarmos às coisas do alto e ilumine a nossa fé para fazermos da nossa vida lugar onde o Espírito Santo possa entrar e nos encher dos seus dons, isto é, sermos testemunhas do Pentecostes.

Agora vamo-nos abrir a presença do Espírito que nos habita, e ler pausadamente a palavra de Deus que nos fala da acção do Espírito em cada um de nós. Vamos rezar esta palavra e descobrir as riquezas que Ele nos dá para todos juntos formarmos o Corpo místico de Cristo.

«Irmãos:
Ninguém pode dizer «Jesus é o Senhor»
A não ser pela acção do Espírito Santo.
DE facto há diversidade de dons espirituais,
Mas o Senhor é o mesmo.
Há diversidade de operações,
Mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
Em cada um se manifestam os dons do Espírito
Para o bem comum.
Assim como o corpo é um só e tem muitos membros
E todos os membros, apesar de numerosos,
Constituem um só corpo,
Assim também sucede com Cristo.
Na verdade, todos nós
Fomos batizados num só Espírito,
Para constituirmos um só Corpo.
E a todos nos foi dado a beber um único Espírito.»

Desejamos que a vida de cada um seja lugar de Festa e que todos juntos, como família de Deus, celebremos com muita fé e alegria a Ascensão e o Pentecostes. As Irmãs carmelitas do Carmelo de Cristo Redentor